"Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e
sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade."
(Nietzsche)


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Detalhes mudos



Novamente, inversamente proporcional a minha vontade de escrever: eu tento!

E quem diria que tentar fosse tão difícil?!
De acordo com Terêncio, "Nada é tão difícil que, à força de tentativas, não tenha resolução." Ouço Clapiers sussurrar que "Aquele que tudo pode suportar, tudo pode tentar."
Tenho absoluta certeza que não sou uma pessoa fácil. Ah não! Descrever-me complicada seria ir contra o que alguém, um dia, me ensinou. Segundo tal, eu sou complexa. Que seja!!
Eu odeio essa minha mania de analisar as coisas, as pessoas, as situações...
O fato é que sou teimosa.
Isso! E essa teimosia teima em não me abandonar.
Nietzsche proferiria a plenos pulmões: "Teimosia é firmeza de caráter adulterada pela estupidez." Beaman retrucaria que "A teimosia tem seu lado útil. Você sempre sabe o que estará pensando amanhã." Lavater participaria com "A teimosia é a força do fraco." Na verdade eu procuro acreditar em Gandhi quando, redundantemente sábio, ele diz: "As coisas que queremos e parecem impossíveis só podem ser conseguidas com uma teimosia pacífica."
Até hoje - e que isso fique bem claro - nunca deixei de tentar nada. Mas um dia eu já desisti de tentar... De que me valeram as tentativas, a insistência e todo esse blá blá blá?
Respondo: De pouca coisa além da consciência aliviada da culpa de não ter tentado.
Parece incrível que pequenos detalhes possam ser tão importantes. Aqueles detalhes que me faziam tão feliz e que agora se perderam entre a teimosia alheia e a minha própria.
Inconscientemente eu sempre paro nos detalhes. Talvez por ficar sempre me enganando ao achar que eles estão sempre lá, só eu que não os vejo!
Chega a ser cruel ser protagonista do mesmo filme. Ele vai se desenrolando diferente, mas a cena principal é a mesma.
Um dia eu desisti de falar. Doeu tanto em mim desistir... se não por ficar muda, por ter desistido de algo que eu queria. Consegui ficar muda por um bom tempo e até hoje não sei se foi bom ou ruim pra mim.
O que me levaria a desistir de falar???
Quando se desiste de um sonho, pode-se desistir de qualquer coisa por não ser possível sentir dor maior.
Vieram as curvas do destino e um vento sutil me possibilitou voltar a sonhar o mesmo sonho. Minha felicidade foi abafada pelo medo de perder pela segunda vez a oportunidade. Foi titubeada pela imensa responsabilidade que eu teria que assumir. Mas eu estava feliz... e isso é indescritível.
As mesmas curvas estão tentando roubar novamente meu sonho...
Apesar do medo de seguir sozinha, eu não quero desistir. A parte de mim que ficou viva da outra vez grita desesperadamente para que eu não a deixe morrer. O bom senso ecoa: "vai ser melhor assim".
O que fazer?
Estou tentando agoniantemente encontrar os detalhes. Os que me fazem sentir viva e forte e apoiada. Onde estão?
Ficaram mudos.
Por mais verdadeiras que sejam as minhas lágrimas, a minha fidelidade e o meu amor... de nada servem, não convencem!
Dessa vez não foi um vento que espalhou as folhas na minha vida. Foi um tufão. E quando tudo não poderia ficar mais difícil, torna-se um bilhete breve, desbotado e amassado. Dos que me dizem que a vida não depende só de mim. Dos que tentam ser descontraídos pra camuflar a tristeza. Dos que terminam sem ter dito nada e quando menos se espera. Dos que já rasgaram uma vez e eu teimei em consertar...
No meio do tufão eu grito: Não vou desistir!!!
Sozinha ou acompanhada... entre tempos e contratempos... triste ou feliz... apoiada ou contrariada... EU NÃO VOU DESISTIR DO MESMO SONHO POR DUAS VEZES!!!
E não é por ser teimosa... Não!
É por me saber forte!
As pessoas podem ir ou vir da minha vida e apesar de meio-morta eu vou suportar. Mas existe alguém que só pode vir se eu não desistir de tentar... e é por querer tanto esse alguém que vou continuar tentando.
Já disse Norman Peale: "O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste."
Por escolher ser forte,
Srta Emy.


P.S.: Minhas sinceras desculpas aos selos não publicados e aos memes não respondidos... assim que o tufão passar prometo lhes ser justa!

9 comentários:

Luis Bento disse...

Entrei aqui através do blog da Cleo...Uma boa surpresas... a nível estético e a nível de qualidade de textos...Gostei do post...temos mulher determinada! Vou segui-la...

Rossetti disse...

mais um ótimo post!

obrigado pela "companhia" virtual no meu blog!

:P

beijos!

Srta Emy disse...

Bento, seja bem-vindo!
Rossetti a recíproca é verdadeira!
Beijo malvado duplo.
:**

Jhennifer Cavassola disse...

Eu tento fazer tantas coisas óhhh. Escrever também é uma das coisas que tento. Tento não sentir raiva de certas pessoas, tento dormir mais, me stressar menos.
Gostei das três frases, tanto a do Nietzsche quanto a do Beaman e Gandhi. Sou bem teimosa!!
Quando acredito em algo, logo lutarei por isso e a teima continuará.

Pare, pense, veja tudo a sua volta. Veja o que está valendo a pena e o que não está. Tente cuidar do seu eu!
E nunca desista de um sonho, se não deu certo dessa vez, ainda dará. Afinal, ainda não deu, então é só lutar e esperar.

Fica com essa sim: Norman Peale: "O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste."

Terminou muito bem com essa frase.


obrigada por opinar sobre o chá! :)
Um lindo dia, beijos

Jana disse...

eu nem sei se ainda tento...

beijo

Cleo disse...

Hum Malvada, citações filosóficas aqui no teu texto, adorei. gosto de ler gente inteligente. e não seria inteligente desistir duas vezes do mesmo sonho. SEJA TEIMOSA SIM. Avante, boa sorte, logo o tufão passa e a bonança aparece.
Beijos carinhosos
Uma linda semana
Cleo

Táxi Pluvioso disse...

Bom! Sendo malvada, então, não desista de desistir.

Estas citações têm dado muito jeito, pois escrevo diariamente apontamentos num caderno e começo sempre com uma citação. Ultimamente tenho usado estas.

Fe disse...

seu blog é muito show! gostei mesmo...

bjaoo

Cadinho RoCo disse...

Não dá pra parar quando o propósito é caminhar.
Cadinho RoCo