"Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e
sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade."
(Nietzsche)


sábado, 2 de maio de 2009

Sobre decepções e reminiscências


Sem saber como começar a falar sobre, nem mesmo sobre o que preciso falar...
Digamos que minha vida girou 180 graus e não consigo organizar minhas idéias em meio a vã tentativa de me reequilibrar.
Parafraseando Lispector, "Não sei se quero descansar, por estar realmente cansada ou se quero descansar para desistir".
A verdade é que ando acumulando decepções, sendo a maior delas comigo mesma. E os sábios chineses já diziam que "As árvores mais duras são as primeiras a partir com o vento".


Não se perguntem como, nem o porquê... isso é desimportante.


Peguei-me a observar o mar da minha varanda e perdi a noção de tempo. Ora, Platão resmungaria que "O tempo é a imagem móvel da eternidade imóvel." Sempre achei maravilhosa a sutileza da linha do horizonte, mas agora percebi que quando nos sentimos perdidos tudo faz mais sentido. Ou será que tudo só faz sentido por termos nos perdido?
Passei algum tempo a meditar sobre minha vida e, pasmem, eu perdi meu rumo. O que eu quero fazer amanhã? Não sei. Eu que sempre repeti Einstein com "Nunca penso no futuro, ele chega rápido demais" comecei a me sentir um grão de areia no deserto.
Em algum momento na vida percebemos que estamos sozinhos diante das nossas decisões, sendo este o motivo de não podermos culpar ninguém pela nossa falta de tato. Nesse momento de epifania visualizamos os erros homéricos já cometidos. A diferença é que recuso o arrependimento, ele é inútil e me faria perder tempo mais uma vez. Sêneca me apoiaria: "O homem que sofre antes do necessário, sofre mais que o necessário."
Se essas lágrimas teimosas me deixassem em paz, eu realmente teria paz? O calor delas muitas vezes me acalenta.
Cai uma chuva fina e erregelante. Nuvens escuras e carregadas se manifestam. Trovoadas num distante-perto. Qualquer semelhança com meu estado de espírito seria casual? Bah... também estou cética quanto à casualidade.
A máxima de Gonçalves Ribeiro ecoa em minha mente: "Para quem nada espera, o pouco muito representa."
De repente, muitas frases e pensadores turbilhonaram meus pensamentos. E, tola que sou, começo a refletir sobre o tempo que me resta.
Me veio La Fontaine com: "Nas asas do tempo, a tristeza voa."
Depois Thomas Edison: "Muitas falhas da vida acontecem quando as pessoas não percebem o quão perto estão quando desistem."
Até mesmo Chaplin: "Se você tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades, teria ouvido as verdades que eu insisto em dizer brincando."
Por vez o sussurrante Saint-Exupéry: "Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos."
E Chamfort: "Há tolices bem embaladas, assim como há tolos bem-vestidos."
Se eu morresse amanhã teria deixado de viver e dizer muitas coisas. Sentiria saudade de muitas pessoas. Deixaria inúmeros planos inacabados. Embora isso tudo me entristecesse, me doeria pungentemente o ecoar das injúrias que precisei ouvir até me convencer do quão tola eu fui.
Sinto-me meio viva, meio morta. Já é o bastante para recolher-me aos lençóis e ouvir música o mais alto que conseguir.


Hoje eu aprendi que não adianta refletir sobre decepções, sobre o tempo ou sobre as pessoas. Como diria Bloch, "É impossível fazer qualquer coisa à prova de tolos, porque os tolos são muito engenhosos."
Em meio à loucura começo a rir ao lembrar Torelly: "Senso de humor é o sentimento que faz você rir daquilo que o deixaria louco de raiva se acontecesse com você."
Ora, ora... até Sharon Stone sabe que o "Humor é uma forma de ser valente."
Mesmo louco, o sorriso voltou aos meus lábios já salgados. Pensei: De que me adiantaria fugir da vida, se o que verdadeiramente quero é vivê-la plena e intensamente junto aos meus???
Resolvi fazer como Mário Lago: "Fiz um acordo de coexistência pacífica com o tempo: nem ele me persegue, nem eu fujo dele. Um dia a gente se encontra."

Beijos malvados,
Srta Emy.

P.S.: Se perceberam minha rebeldia quanto às novas normas da Língua Portuguesa, acostumem-se a ela! Acho pueril emburrecer o conhecimento dos que o têm para massificar o analfabetismo.

12 comentários:

Jhennifer Cavassola disse...

Adoro as citações que vc coloca, sabe escolher muito bem!!

Amiga, vc está precisando colocar tudo em um papel, ver o que tem aprendido com as decepções, o que tem feito quando elas acontecem, porque acontecem etc. Focalize algo em sua vida, viva intensamente, mas não esqueça de descansar a mente!

Uma linda semana! Beijos

Anônimo disse...

Acho que ela precisa, ao beber "chopp", conversar com alguém que beba "caipirosca"!

Gostaria de, mais uma vez, poder "ouvir e analisar" as suas constatações sobre a vida!

Beijo, Srta. "M"!

N.C.

Rossetti disse...

adoro suas citações! :D

beijos, malvadaaa

Vanilla disse...

Vc se expressa muito bem.
Parabéns!

Srta Emy disse...

Opa,
Desculpando-me pela demora...
Jhe, Rossetti, é muito bom tê-los por aqui...sempre!
Vanilla, obrigada e bem-vinda!
N.C., um chopp seria ótimo!Aahuahau....
Beijos malvados!
:**

Táxi Pluvioso disse...

Africa.

CARLA ROCHA disse...

MUITO BOM!!! Nada melhor que o tempo para que as coisas encontrem seu lugar! Parabéns, belo post! Feriado de luz pra você!

Esnobre_ disse...

eu te amo.. eu não sei onde eu tava com a cabeça quando passei todo esse tempo sem te dar noticias nem cobrar noticis suas.. não sei mesmo. ah que saudade de conversar algumas mil horas contigo. bem eh isso ai.. um beijo e ate a proxima.

Anônimo disse...

oi...
Tem selinho para voc~e no meu blog.
Abraços

mari disse...

* selinho

Táxi Pluvioso disse...

O futuro só existe como passado. Bom Domingo.

Marco Rebelo disse...

Muito boa a primeira imagem...a moça deitada sobre os carris :)

Bom blog :)